28 de agosto de 2009

O Louco quer pouco.

Sei lá

é a brisa da madrugada.

minha poesia sux!